01 outubro 2014

Movie: Lol


Hoje quero falar de um filme mais que incrível que eu já assisti váaaarias vezes, mas mesmo assim não canso. Sou assim com os filmes que eu gosto, estranha mesmo hehehe Enfim. "Lol" (Lola no Brasil) é de 2012, e tem no elenco atrizes como Miley Cyrus, Demi Moore e Ashley Greene, sem falar no maravilhoso deus grego Douglas Booth. Na maioria das resenhas que eu vi ele não era citado, mas recentemente ele fez Noah com a Emma Watson e o - meu marido -  Logan Lerman, então vocês devem saber quem é.

O filme conta a história da Lol (me recuso a falar Lola desculpem ansjikams). Ela tem um namorado, mas logo descobre que ele traiu ela nas férias de verão. Então, ela fica por conta das duas melhores amigas e do melhor amigo, Kyle. Mas durante o filme, ela ve que ele pode ser MAIS que um melhor amigo...

Clichê? Nem tanto assim quanto parece, e você percebe isso vendo o filme. Ele mostra um pouco da vida de cada um dos personagens, não só da Lol. A gente conhece um pouco da vida da Emily, do Kyle e até da mãe da Lol. Ok, o foco é ela, mas as coisas parecem ser de verdade sabe? O filme mostra as notas baixas da Lol, o pai chatinho do Kyle, a relação incrível da Lol com a mãe...

A trilha sonora é simplesmente incrível. Tipo, de verdade. Começando por The Big Bang do Rock Mafia, que é meu mais novo vicio. Além disso, tem Foster The People, o que torna tudo melhor ainda. Eu também fiquei apaixonada pelo quarto dela, na qual eu já salvei fotos pra me inspirar, claro. E o figurino me chamou atenção simplesmente porque é incrível! Não só o da Miley, mas de todos os personagens. Eu roubaria o guarda roupa da Lol inteiro pra mim, sério mesmo. E considerando que eu nunca fico reparando nessas coisas, vocês tem que acreditar que é bom mesmo.

O filme tem atores/atrizes ótimos, uma trilha sonora perfeita, figurinos e cenários perfeitos e uma história clichê que faz bem pra todo mundo de vez em quando. Como poderia ser ruim? UHAHUSUA Vou deixar aqui o trailer pra vocês verem. Se assistirem me falem, se já tiverem assistido me falem também, se querem assistir falem, enfim... Kisses!


29 setembro 2014

Sozinho do Dia


Oi! Faz muito tempo que não posto aqui, e queria pedir desculpas por isso. Na semana que passou eu viajei pra Fortaleza (cidade lindaaa) então não rolou mesmo aparecer aqui no blog. Mas agora eu voltei pra vida, e decidi voltar com o meu querido sozinho do dia. Ah, também queria dizer que sai do projeto 5 on 5 ok? Mas continuem vendo as fotos das meninas e prometo que vez ou outra eu publico minhas fotos. Hoje eu decidi colocar essa música porque eu ouvi ela demais durante a viagem e eu sou apaixonada por ela desde que ouvi pela primeira vez. É minha segunda banda favorita e eu nem lembro se já publiquei ela aqui, mas vai de novo se sim.

Sweather Weather do The Neighbourhood, uma das bandas mais "who" do mundo, mas simplesmente incrível. Kissesss



23 agosto 2014

Viva a Sociedade Alternativa



Hey povo! Faz um tempo que eu propriamente dita não posto aqui, mas eu estava procurando um assunto legal pra escrever. Vou contar como a ideia veio: Eu estava esperando a hora de ir pro inglês e comecei a passar os canais na TV, e em um dos telecines (não lembro qual gente amnjsikamjs) tava passando a propaganda de um filme que eu também não lembro qual, mas era nacional. (era o filme de um livro do Paulo Coelho se não me engano, não tenho certeza) E estava tocando Sociedade Alternativa, do Raul Seixas na propaganda. Ai eu pensei, "opa, vou ouvir depois". Então, eu estava aqui ouvindo a musica e comecei a pensar na época na qual o Raul Seixas viveu parte da carreira e tal. (aliás, dia 21 completaram 25 anos da morte dele <//3) 

Eu sou fascinada pela ditadura e por tudo que aconteceu na época, a forma de opressão, a censura e tudo mais. (planejando um post sobre). Como as pessoas fugiam e como depois conseguiram juntas vencer o regime militar com a força do povo. Ok, foco. Na ditadura, demonstrar sua opinião era proibido e gerava tortura ou até mesmo morte caso ela fosse contra o regime. Existiam muitas musicas em forma de protesto ou até mesmo alerta pra população (ouçam Cálice ou Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores). Não existia liberdade de expressão. 

Hoje, além da liberdade de expressão temos uma imensa liberdade quanto a tudo. Nossas palavras, corpo, opiniões, gostos... Todo mundo tem direito a gostar do que bem entender. Se eu prefiro usar calça jeans e camiseta então isso é meu problema, e se você ama regata e saia, bom, isso é problema seu. Se eu gosto de rock bom pra mim, se você gosta de funk problema seu (não que eu goste porque né). Essa é a questão. Hoje em dia cada um tem o direito de ser quem é. E claro, não ser quem é sem ninguém olhando meio que tipo "quem é essa doida" mas ser quem é. 

As pessoas vão te julgar na rua. É óbvio. Se alguém passa por mim ouvindo música sem fone pode ser a musica que eu mais amo EU VOU TE ODIAR CARA. E isso acontece diariamente. Provavelmente alguém que não gosta de musica antiga brasileira quando me ve na rua com a minha blusa da Legião Urbana deve pensar "que otária". 

Mas a questão é que hoje nós temos liberdade nas nossas ações, nas coisas que fazemos. Somos livres. Eu posso criticar o governo, posso escrever poemas, eu posso.  Então, vamos aproveitar a liberdade que temos. Vamos aproveitar que podemos nos vestir como gostamos e vamos ser nós mesmos. Vamos aproveitar que podemos cantar, dançar, atuar, compor. Vamos aproveitar que nós podemos mudar o país, e podemos mudar o mundo. Nós somos livres pra isso. É só começar.